Notícias

início / Notícias

Produção global de orgânicos apresenta crescimento

Produção global de orgânicos apresenta crescimento

Um estudo apresentado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) mostrou que, entre 2000 e 2017, houve um crescimento médio de 11% nas vendas de produto orgânico no mundo. O número de produtores neste período aumentou de 253 mil para 2,9 milhões. 

Este crescimento ocorreu sobretudo na Ásia, África e América Latina. No Brasil, estimativas mostram um crescimento médio de 17%, cerca de 17 mil produtores orgânicos. Em 2017 o país ocupava o 12º lugar entre os 20 países com maior área de produção orgânica.

O Brasil é o maior produtor de arroz orgânico na América Latina. São 27 mil toneladas anuais. Também lidera a produção mundial de açúcar orgânico e é o país com maior número de colmeias, com quase 900 mil, segundo o Ipea.

A projeção de faturamento pelo Conselho Nacional da Produção Orgânica e Sustentável (Organis) para 2018 foi de R$ 4 bilhões, baseando-se no aumento das exportações, surgimento de novas empresas e variedades de produtos.

Segundo o Ipea, a agricultura orgânica avança em certificação, área plantada, número de produtores e de volume produzido. 

A tendência é que a demanda mundial por alimentos orgânicos seja ampliada nos próximos anos, pois esses alimentos são associados a uma maior segurança e saúde alimentar, assim como menores impactos sociais e ambientais. 

No Brasil, as principais regiões produtoras de orgânicos são Sul e Sudeste, com destaque para verduras, legumes, vegetais, arroz e açúcar. Já Norte e Nordeste vem ganhando destaque com as castanhas e a apicultura. 

As principais dificuldades que esse setor encontra são a falta de assistência técnica e dificuldade de acesso aos insumos. 

O produtor encontra entraves no momento de iniciar sua produção orgânica, pela falta de informações e também dificuldade de encontrar os insumos necessários. 

A tendência é que aumente a quantidade de informações, planos governamentais e subsídios para essa modalidade, pois com o aumento da procura de alimentos orgânicos pela população, a tendência é que a produção cresça cada vez mais. 

Muitos chamam esta como a “agricultura do futuro”.